John Dalton

JOHN DALTON E SUA ASSINATURA
 


Foi um químico, metereologista e físico inglês.
Dalton é mais conhecido pela Lei de Dalton, a Lei das Pressões parciais, e pelo DALTONISMO, o nome que se dá à incapacidade de distinguir as cores, assunto que ele estudou e mal de que sofria. O químico inglês John Dalton, que viveu entre 1.766 a 1.825, afirmava que o átomo era a partícula elementar, a menor partícula que constituía a matéria. Em 1.808, Dalton apresentou seu modelo atômico: o átomo como uma minúscula esfera maciça, indivisível, impenetrável e indestrutível. Para ele, todos os átomos de um mesmo elemento químico são iguais, até mesmo as suas massas. Hoje, nota-se um equívoco pelo fato da existência dos isótopos, os quais são átomos de um mesmo elemento químico que possuem entre si massas diferentes. Seu modelo atômico também é conhecido como "modelo da bola de bilhar".
O átomo seria uma esfera (partícula) maciça e indivisível.

Fonte: John Dalton – Wikipédia, a enciclopédia livre

BIOGRAFIA

John Dalton era britânico e nasceu no dia 6 de Setembro de 1766 em Eaglesfield.

JOHN DALTON
 
Ensinou Matemática, Física e Química, no New College em Manchester. Em 1826, recebeu a medalha da Sociedade Real pelo seu trabalho sobre a teoria atômica. Possuía grande pendor para o magistério e grande dedicação às ciências. Sofria de daltonismo, o nome que se dá à incapacidade de distinguir as cores, assunto que ele estudou e mal de que sofria, o nome da doença foi dado em sua homenagem.

Dalton sofreu um pequeno acidente vascular cerebral em 1837, e um segundo em 1838 que deixou-o com dificuldades para falar, embora permanecesse capaz de fazer experiências. Em Maio 1844 teve outro acidente vascular cerebral; em 26 de julho ele registrou com a mão trêmula sua última observação meteorológica. Em 27 de Julho de 1844, com 78 anos, em Manchester, Dalton caiu de sua cama e foi encontrado sem vida pela sua atendente. Dalton foi sepultado no cemitério Ardwick em Manchester.

Um busto de Dalton colocado no hall de entrada do Manchester Royal Institution.

Em honra ao trabalho de Dalton, muitos químicos e bioquímicos utilizam (ainda não oficialmente) a unidade dalton (abreviada Da) para designar uma unidade de massa atômica, ou 1 / 12 do peso de um átomo neutro de carbono-12.

REPRESENTAÇÃO DE 1/12 DA MASSA DE UM ÁTOMO NEUTRO DE CARBONO-12.
 
A Universidade de Manchester estabeleceu dois Dalton Chemical Bolsas, dois Dalton Mathematical Bolsas e um Dalton Prémio de História Natural.

Em seu livro The 100, Michael H. Hart fileira Dalton como a 32ª pessoa mais influente da história. 

LIVRO EM QUE JOHN DALTON É CONSIDERADO A 32º PESSOA MAIS INFLUENTE DA HISTÓRIA.
 
A cratera lunar Dalton foi nomeada em sua homenagem.

DALTON FOI HOMENAGEADO COM UMA CRATERA LUNAR QUE CONTÉM SEU NOME.
 
CONTRIBUIÇÕES CIENTÍFICAS

A ideia de uma concepção atomística da matéria remonta às especulações dos filósofos gregos da Antiguidade, mas sua formulação em bases científicas é atribuída ao químico e físico inglês John Dalton.

Durante a Idade Média e o Renascimento, a verdade correntemente aceita era a de que a matéria era contínua.

Com o desenvolvimento da química, na segunda metade do séc. XVIII, acumularam-se fatos que, para serem explicados, necessitavam de uma teoria sobre a constituição da matéria. A teoria atômica proposta por Dalton fora a chamada “Bola de Bilhar”.

A TEORIA DE DALTON

A teoria de Dalton baseava-se nos seguintes postulados:
  • Os elementos químicos consistem em partículas de matéria, ou átomos, que não se subdividem e que preservam sua individualidade nas transformações químicas;
  • Os átomos são esféricos, maciços, indivisíveis e indestrutíveis;
  • Todos os átomos de um mesmo elemento são idênticos e, em particular, têm a mesma massa, caracterizando-se cada elemento pela massa de seu átomo;
  • Os compostos químicos são formados pela união de átomos de diferentes elementos em proporções numéricas simples e determinadas, por exemplo, 1:1, 1:2, 2:3.

    MODELO ATÔMICO PROPOSTO POR DALTON (BOLA DE BILHAR).
Desse modo Dalton procurou explicar a Lei de Lavoisier ou Lei da Conservação da massa (numa reação química não ocorre variação de massa, portanto a massa dos produtos é igual à soma das massas dos reagentes) e a de Proust, Lei das proporções definidas (uma dada substância contém seus elementos constituintes na mesma proporção em massa):
  • Como os átomos não sofrem mudanças durante uma reação, a massa de um composto é a soma das massas, de seus elementos;
  • Um composto é formado pela união de átomos em proporções determinadas;
  • Consequentemente, a proporção, em peso, dos dois elementos é sempre a mesma em qualquer amostra do composto.

    LEIS DE LAVOISIER (CONSERVAÇÃO DA MATÉRIA) E PROUST (PROPORÇÕES DEFINIDAS) ESTUDADAS POR DALTON.
Estudando os gases, Dalton estabeleceu que "a pressão total de uma mistura de gases é igual à soma das pressões parciais dos gases que a constituem". Considera-se pressão parcial a pressão que cada gás, isoladamente e à mesma temperatura, exerceria sobre as paredes do recipiente que continha a mistura. Esse princípio só se aplica aos gases ideais (um modelo idealizado, para o comportamento de um gás).

LEI DE DALTON

De sua hipótese, Dalton concluiu que, se dois elementos, A e B, podem formar mais de um composto, então a massa de B que combina com a mesma massa de A nos diferentes compostos estão, entre si, na mesma proporção que pequenos números inteiros. 

Por exemplo, oxigênio e carbono podem formar dois compostos: em um deles, monóxido de carbono, a proporção dos dois elementos é de 4:3 (massa), respectivamente, e no outro, dióxido de carbono, é de 8:3. As massas de oxigênio que reagem com a mesma massa de carbono nos dois compostos estão entre si como 4:8 ou 1:2. Essa lei, conhecida como lei das proporções múltiplas, ou lei de Dalton, foi derivada da teoria e posteriormente confirmada pela experiência, constituindo a primeira predição e o primeiro triunfo da teoria atômica da matéria.

Apesar do seu sucesso para explicar e predizer as leis da combinação química, a teoria de Dalton era incompleta, pois não podia determinar os pesos relativos dos átomos. Dalton fez então, arbitrariamente, a suposição mais simples: quando apenas um composto de dois elementos fosse conhecido, estipulava-se AB para sua fórmula estrutural. A água era considerada como formada por um átomo de hidrogênio e um de oxigênio. Embora simples, a hipótese era incorreta e gerou algumas incongruências e dificuldades.

MÉTODOS EXPERIMENTAIS DE DALTON

Como investigador, Dalton muitas vezes se satisfazia com instrumentos precários e imprecisos, mesmo que instrumentos melhores pudessem ser adquiridos. Sir Humphry Davy o descreveu como "um experimentador muito rústico", que quase sempre encontrava os resultados que queria, confiando mais na sua cabeça que nas suas mãos. Por outro lado, historiadores que replicaram alguns de seus principais experimentos confirmaram a habilidade e precisão de Dalton.
CURIOSIDADES


Dalton tinha pertubações cromáticas e sua maior publicação foi "Fatos extraordinários relacionados com a visão das cores". Isto constitui o primeiro estudo sistemático do "daltonismo", o nome que se dá à incapacidade de distinguir as cores, mal de que sofria.

FIGURA DO TESTE DE ISHIHARA, MÉTODO UTILIZADO PARA DIAGNOSTICAR O DALTONISMO. O NÚMERO 74 SOMENTE É VISÍVEL PARA AS PESSOAS DE VISÃO NORMAL.
Dalton dedicou-se também à meteorologia. Um de seus trabalhos mais minuciosos foi a elaboração de um diário meteorológico por 57 anos , no qual fez mais de 200.000 anotações. Seu interesse por fenômenos atmosféricos, como a aurora boreal, demonstrava que a faculdade intelectual privilegiada por Dalton para a pesquisa científica era a indução, tipo de inferência que, a partir de um grande número de dados, procura encontrar suas correlações e as leis lógicas que as regem.

AURORA BOREAL

*Num trecho do documentário da BBC Four "Química: Uma História Volátil - Episídio II: A Ordem dos Elementos" John Dalton é mencionado. Não foi possível postar o vídeo, mas quem se interessar pode entrar em contato com a equipe que repassaremos o trecho.*

Fontes: John Dalton – Wikipédia, a enciclopédia livre
             Teoria Atômico - Molecular
             A vida de John Dalton - Jornal Livre
Para entender melhor o vídeo leia as informações acima. Desculpem os erros.


Nossos agradecimentos a professora Carin Costa por ter cedido o laboratório de física para a gravação e por ter nos suportado durante aquela tarde. Beijos!
EQUIPE:

Antônio Neto - Nº 04
Carlos Gabriel - Nº 07
Ingra Gonçalves - Nº 15
Isabella Castro - Nº 16
Maynara Mendonça - Nº 31
Renan Alves - Nº 35
Teógenes Miguel - Nº 39


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário